Massa

Gigli com Ervilhas e Espinafres

O Verão traz coisas ma-ra-vi-lho-sas! A fruta, os legumes, os verdes, as cores vivas, o calor, o sol, o mar, a areia, as férias! Que delícia…

Este ano ainda vou ter esperar um pouco pelas férias mas os fins de semana vão servindo para repôr as baterias.
Se há coisa que adoro são aqueles dias em que não está demasiado quente (não sou muito dada a demasiados calores…). Para mim basta um calção e chinelo, uma sombra e relva. Um parque, uma serra, um jardim.

Enquanto vou sonhando com a moradia (sim porque a vida em apartamento não tem esse tipo de luxos), vou-me contentando com prazeres mais simples e acessíveis como um prato de massa e ervilhas da horta.

Bom apetite!

SERVE: 4
TEMPO: 30 MIN

INGREDIENTES:
2 chávenas de folhas de espinafres (pode usar congelados)
½ chávena de ervilhas (frescas ou congeladas)
2 dentes de alho
1 c.s. de manteiga
1 chávena de queijo curado ralado
1 pacote de natas de culinária
2 c.s. de miolo de noz picado
Sal e pimenta q.b.
1 pacote de Gigli (ou outra massa a gosto)

PREPARAÇÃO:
Coloque uma panela com água temperada com sal ao lume e deixe que levante fervura. Quando ferver junte a massa e deixe cozer durante o tempo recomendado pelo fabricante.
Numa frigideira coloque a manteiga e o alho picado e deixe cozinhar 1 minuto.
Adicione as ervilhas e as folhas de espinafres e cozinhe mais 3 minutos, mexendo de vez em quando.
Tempere com sal e pimenta.
Adicione as natas e o queijo e mexa até envolver. Deixe apurar até que o molho fique com uma textura bem cremosa.
Junte as nozes e reserve.
Escorra a massa e reserve alguma da água da cozedura.
Envolva a massa e o molho e retifique se necessário, juntando alguma da água da cozedura.
Sirva de imediato.

Esparguete com Molho de Queijo e Cogumelos

A apenas 2 semanas do Natal, tudo se veste a rigor para a grande ocasião. As ruas engalanadas de luzes de todas as cores, as montras bem enfeitadas, as compras de última hora, aquele embrulho que falta fazer. Todos os anos e cada vez mais cedo o comércio se prepara para a ocasião e mesmo assim eu deixo a compra das prendas sempre para os últimos dias. Defeito meu, eu sei. Sem qualquer dúvida e desculpa. Mas na verdade eu detesto a azáfama dos centros comerciais, as longas filas, o stand dos embrulhos. Detesto! Estraga a experiência toda. Transforma um momento que deveria ser de tranquilidade e serenidade numa frenética maratona com várias horas em filas de espera.
Por mim, prendas só para as pessoas mais chegadas e como é óbvio para as crianças. Tudo o resto cheira-me a supérfluo.

Aquilo que gosto mesmo nesta época é aquele dia em que montamos a árvore e a ceia de 24. Mais concretamente a tarde de preparativos e cozinhados. Aqueles dias que a antecedem em que se planeiam as receitas, os ingredientes, as decorações.

Aqui o bacalhau é sempre rei, mas há sempre um prato de carne a aguçar os apetites mais audazes. Festa é festa!
Na família das sobremesas vario todos os anos…percorro os pudins, as mousses, os bolos, mas à mesa sentam-se sempre as clássicas rabanadas e os sonhos. Não gosto de bolo rei (ups!) mas guardo um cantinho também para que ele esteja presente. Este ano ainda não me decidi com as sobremesas e com o prato de carne.
A ver vamos.
E vocês? Como é o Natal à vossa mesa?

SERVE: 4
TEMPO: 30MIN

INGREDIENTES:
250g de esparguete
Sal q.b.
2 c.s. de manteiga
100g de bacon
½ cebola
2 dentes de alho picados
½ malagueta (opcional)
200ml de natas
100g de queijo curado

PREPARAÇÃO:
Coloque uma panela com água e sal ao lume e deixe que levante fervura. Coloque o esparguete a cozer respeitando o tempo de cozedura indicado na embalagem.
Numa frigideira coloque a manteiga, a cebola e alho picados e o bacon. Deixe fritar durante 5 minutos mexendo ocasionalmente.
Adicione o alho e os cogumelos e cozinhe por mais 5 minutos. Adicione a malagueta picada e as natas. Quando o molho começar a fervilhar junte o queijo cortado em pedaços e mexa até que este derreta por completo. Retifique o tempero de sal se necessário.
Escorra a massa (guarde alguma da água) e envolva o esparguete no molho. Junte algumas colheres de sopa da água de cozedura da massa para ajustar a textura do molho, se necessário.
Sirva de imediato.

Esparguete com pesto de pimento e queijo fresco

Com a absoluta certeza de que os belos dias de sol já lá vão, regressa a vontade de comer pratos mais robustos e reconfortantes…daqueles que aquecem o corpo e a alma. Mas da horta ainda vêm alguns tomates e pimentos. Uns vão para congelar para usar durante o resto do ano, outros merecem uso imediato, apelando a um prato de massa. E a prova de o pesto não é só feito com mangericão e pinhões, eis uma excelente alternativa.

6
dsc_0080

SERVE: 4
TEMPO: 45min
INGREDIENTES:
500g de esparguete
2 chávenas de folhas de espinafres (pode usar congeladas)
3 pimentos vermelhos
3 dentes de alho
Sal e Pimenta q.b.
2 c.s. de Azeite
½ chávena de miolo de amêndoa
½ chávena de queijo parmesão ralado
1 ramo de manjericão
½ chávena de azeite
Queijo com alho e ervas

PREPARAÇÃO:
Limpe as sementes dos pimentos e corte-os em pedaços. Num tabuleiro coloque o pimento, os dentes de alho, sal e pimenta e as 2 c.s. de azeite. Leve a assar em forno pré aquecido a 180ºC durante 30 minutos.
Num copo coloque o miolo das amêndoas, as folhas de manjericão (a gosto), o azeite, o pimento assado e o parmesão ralado. Triture com a varinha mágica e retifique o sal e a pimenta se necessário.
Reserve.
Num tacho coloque água temperada com sal e leve ao lume até levantar fervura. Nesse momento coloque o esparguete e os espinafres a cozer durante o tempo recomendado na embalagem do esparguete. Retire e escorra. Coloque numa taça e junte o pesto (quantidade a gosto). Sirva com o queijo de alho e ervas desfarelado sobre a massa.

dsc_0095

Esparguete com Requeijão, Avelãs e Cogumelos

Já muito aqui falei das minhas opções alimentares, e do que não dispenso na minhas refeições: muito peixe, fruta e legumes (maioritariamente biológicos). Não sou de extremos, mas jamais conseguiria ser vegan ou vegetariana. Adoro ovos, derivados de leite, leite, carne e peixe. É meu. Está entranhado em mim desde que me lembro de ser gente! Apenas num caso extremo de saúde me veria a abdicar de uma bela costeleta do cachaço, ou de um bife de vaca, ou de um robalinho! Jamais! Não julgo ninguém pelas escolhas alimentares que tenham…na verdade acho admirável a disciplina alimentar que algumas pessoas adotam quer por questões de saúde, quer por ideologia. Eu não conseguiria.

Mas isto não significa que não reconheça os malefícios dos excessos alimentares, do consumo excessivo de carne e gorduras, da produção em massa dos frangos, porcos e vacas, que em tanto diminui a sua qualidade. Precisamente por isso é bom ficarmos por terrenos mais neutros e optar pelas massas, sopas, saladas sem carne ou peixe. Por mim tudo bem, mas o meu marido torce logo o nariz e vai buscar uma lata de atum. Mas desta vez nem foi o caso! Primeiro porque a massa assim mesmo tem ótimo aspeto. E depois porque tem ingredientes que a tornam uma refeição equilibrada quanto baste: queijo, frutos secos e cogumelos. E é só isso que é preciso. Ingredientes que cumpram a roda alimentar sem serem necessariamente a carne e o peixe.

E para mim funciona lindamente! Simples, fácil e delicioso. Boas escolhas alimentares!

1

5

SERVE: 2
TEMPO: 25 MIN

PREPARAÇÃO:
200g de Esparguete
150g Cogumelos Brancos
2 dentes de Alho picados
2 c.s. de Azeite
2 c.s. de Manteiga
1 ramo de Tomilho
1/2 Cebola picada
Sal e Pimenta q.b.
100g de Requeijão de vaca

PREPARAÇÃO:
Coloque uma panela com água e sal a ferver. Quando levantar fervura coza o esparguete.
Numa frigideira coloque o azeite a aquecer. Adicione os cogumelos laminados, junte o alho e cebola picados e as folhas de tomilho. Quando os cogumelos ganharem cor, tempere com sal e pimenta e reserve.
Quando o esparguete estiver cozido, escorra e guarde 1 chávena da água de cozedura.
Ligue o lume da frigideira novamente e adicione a manteiga, deixe cozinhar 1 minuto em lume alto e junte o esparguete.
Envolva o molho com a massa e junte alguma da água de cozedura. Retire do lume, junte o requeijão desfeito.
Pique o miolo da avelãs e disponha por cima.
Sirva de imediato.

 

Raviolis de Ovo e Alheira com Manteiga de Salva

Poderia começar este post por dizer que vos trazia uma receita mais leve para compensar os excessos da Páscoa…algo entre uma salada ou uma sopa. Mas não é o caso! Na verdade é precisamente e exatamente o oposto!
E porque não? Eu pensei e não encontrei nenhuma razão plausível para deixar de partilhar esta delícia com todos vocês que desse lado são tão bons comedores quanto eu! Este prato é daquelas coisas que não se podem comer todos os dias…mas como todas as coisa deliciosas, só têm piada se forem de vez em quando.
Indulgente? Afirmativo!
Cremoso? Check!
Delicioso? Siiiim!
Que nos valham as camisolas que ainda vão sendo compridas e discretas! Olé!

DSC_0011

SERVE: 4
TEMPO: 60MIN

INGREDIENTES:
Massa:
100g de farinha de Trigo
1 Ovo inteiro

Molho:
1 Alheira
1 chávena de Cogumelos Brancos picados
1/2 Cebola picada
1 Dente de Alho picado
1 ramo de Salsa picada
100g de Requeijão de Vaca
2 c.s. de Azeite
Sal e Pimenta q.b.
1 gema de Ovo por ravioli
1 c.s. de Manteiga
Folhas de Salva

PREPARAÇÃO:
Massa:
Pese a farinha e coloque-a num monte sobre uma superfície apropriada para amassar: pedra ou madeira de preferência.
Faça um buraco no centro, e coloque o ovo nesse buraco. Com a ajuda de um garfo, e em movimentos circulares, vá incorporando a farinha e o ovo. Quando obtiver uma textura de areia molhada, comece a amassar manualmente.
Amasse até sentir que a massa começa a adquirir alguma elasticidade. Forme uma bola e embrulhe-a com película aderente. Deixe repousar no frigorífico pelo menos durante 1/2 hora.
Depois deste período de tempo, estenda a massa, apenas de forma a que caixa na ranhura da máquina.
Passe-a na ranhura 1 até que fique bem uniforme e macia.
Depois passe para a ranhura 5. Estenda a massa até obter uma espessura fina e coloque-a numa superfície.

Recheio:
Numa frigideira, coloque o azeite, o alho, os cogumelos e cebola picados e deixe que ganhem alguma cor. Junte o miolo da alheira e mexa. Tempere com sal e pimenta e retire do lume.
Coloque o preparado numa taça, junte o requeijão e triture com uma varinha mágica (pode deixar com mais ou menos textura conforme prefira). Adicione a salsa picada e deixe arrefecer.
Coloque água temperada com sal a ferver para cozer os raviolis.
Na folha de massa, coloque uma porção do recheio. Faça uma covinha do centro e coloque a gema nesta. .
Coloque outra folha de massa por cima e com a ajuda dos dedos retire o ar da bolsa onde está o recheio. Cole ambas as folhas de massa. Corte com uma chávena ou taça e coza os raviolis durante 2 ou 3 minutos.
Enquanto cozem, coloque a manteiga a derreter numa frigideira e frite as folhas de salva nesta. Junte os raviolis com alguma da água da cozedura e deixe que ganhem sabor por alguns instantes.
Sirva de imediato.

DSC_0012

DSC_0024

DSC_0028

DSC_0034

Linguini com Molho de Alho Francês, Mexilhão e Requeijão

E eis-me finalmente de volta. Para aqueles que me seguem aqui, já sabem o motivo da minha ausência temporária, (na verdade um excelente motivo!!): 39 semanas e 4 dias depois, finalmente a Carlota nasceu, com 3425g e 50cm.

Infelizmente na fase final da gravidez desenvolvi pré eclâmpsia e o parto teve de ser provocado. Não foi rápido (aliás como é habitual nos primeiros filhos) e sinceramente pensei que fosse ser menos doloroso, mas às 00h40 a minha vida mudou para sempre. Sei que estas palavras soam a cliché, mas ainda agora não consigo explicar a emoção que se sente quando nasce um filho. É uma ligação mútua e tão visceral que embora já forte mesmo antes do nascimento, se vincula com enorme naturalidade no momento em que a pele do bebé e da mãe se tocam. Não há nada mais forte e sincero do que aquele amor incondicional.

Estes 12 dias têm sido uma enorme viagem. Cada dia aprendo mais e mais, e sei que no dia a seguir serei melhor e sentir-me-ei mais confiante. Com a Carlota, cresceu uma família, nasceu um pai maravilhoso e uma mãe. E apesar das noites mal dormidas, das cólicas, das dúvidas e incertezas de primeira viagem, todos os momentos são uma benção e não posso senão sentir-me grata e extremamente abençoada.
Queremos também agradecer as palavras bonitas que partilharam connosco! Não poderíamos estar mais felizes!

Finalmente a rotina vai-se reinstalando cá por casa…já saímos para dar pequenos passeios com a princesa, já consigo espreitar o que se vai passando na net, e finalmente também já se cozinha, nem que sejam coisas mais simples, rápidas e convenientes. As massas continuam a ser as minhas favoritas e dos pratos mais versáteis que existem. Sabe tão bem voltar a casa e à comidinha caseira!

SERVE: 4
TEMPO: 20 MIN

INGREDIENTES:
1 Kg de Miolo de Mexilhão
3 c.s. de Azeite
1 dente de Alho
1 Alho Francês (apenas a parte branca)
300 ml de Natas para Culinária
125g de Requeijão de Vaca Tété
1 ramo de Cebolinho
1 Malagueta Vermelha
Sal q.b.
500g de Linguini

Coloque ao lume, uma panela com água e sal e deixe levantar fervura. Quando ferver coloque o linguini e respeite o tempo de cozedura recomendado na embalagem.
Enquanto a massa coze prepare o molho: corte o alho francês em rodelas e leve a refogar no azeite.
Quando o alho francês começara ficar translúcido junte o alho picado, meia malagueta em rodelas e o miolo de mexilhão. Mexa e deixe cozinhar uns 2 minutos.
Junte as natas e deixe que o molho reduza (5 minutos). Retire do lume.
Junte o cebolinho picado e o requeijão.
Escorra a massa e envolva-a no molho.
Sirva-a de imediato decorando com a restante malagueta.

4

3

1